Huaraz, 26-06-2011
 
 
Ontem, dia 25 de junho, voltei para a cidade de Huaraz após ter chegado ao cume do Pisco, com 5700 m. Apesar do plano inicial ser de seguir direto do acampamento base do Pisco para o base do Chopicalqui, optei por retornar a Huaraz (a cidade fica a 50 km da base de inúmeras montanhas) para poder descansar da dura escalada realizada em três dias e, com isso, estar mais preparado para o Nevado Chopicalqui.
 
 
 
 
 
Em realação à escalada do Pisco, após terminar o trekking de aclimatacao, estava me sentindo bem para esta próxima etapa.
 
Iniciamos a caminhada ao acampamento base no dia 23 de junho, dia em que pernoitamos na cota de 4680 metros para, no dia 24 realizar o ataque ao cume.
 
Quatro grupos se encontravam despertos ás 01:30hs, já com tudo pronto. O grupo em que eu me encontrava, chegou na parte onde se inicia a geleira aproximadamente ás 04:00hs, quando colocamos os crampones e iniciamos a escalada propriamente dita.
 
Havia escolhido o Pisco por ser considerada uma montanha de nível técnico relativamente fácil, fato que comprovei não ser verdadeiro, levando-se em considerção o meu nível de escalada em gelo.
 
 
 
Diante das novidades que via, pois nunca havia escalado em gelo, o dia foi nascendo dando uma coloração ainda mais impressionante ás geleiras. Adotamos um ritmo conservador para tentarmos chegar bem ao cume.
 
 
Desta maneira, fui eternizando as imagens que via em minha máquina. Tivemos que transpor duas paredes com 80 graus de inclinação já a 5500m, momento em que me convenci que o buraco era bem mais embaixo!
 
 
 
 
 
 
 
 
Para piorar, o tempo não estava bom.Próximo dos 5400 metros, entramos na nuvem (whiteout), o que não nos permitiu desfrutar da paisagem que certamente se tem durante esta escalada.
 
Aos 5600 metros, senti a respiração apertar um pouco, mas sem dor de cabeça nem náusea, condição que me deixou bem confiante quanto a minha aclimatação.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Ás 08:00hs finalmente pûs os pés no ponto mais alto do Pisco. Apesar do cume estar totalmente encoberto pelas nuvens, fiquei feliz em ter superado um dia frio (sensação térmica de -10 graus na madrugada) e difícil na montanha, confirmando também uma boa aclimatação até agora.
 
 
 
 
 
 
 
No dia 28, sigo para o Chopicalqui, com 6400m, principal objetivo desta temporada nas montanhas peruanas. Devo admitir que, ainda com uma boa aclimatação, tudo pode acontecer na montanha, ou seja, o tempo pode virar e termos que abortar o plano e ainda não estar 100% no dia do ataque e ter que humildemente descer com a cabeça feita!
 
 
 
 
 
 
Que o céu se abra sobre o Chopi! Abs. Manza.